(Ainda) É difícil iniciar uma Psicoterapia

É (ainda) difícil iniciar uma psicoterapia no contexto da sociedade portuguesa.

Apesar de existir sofrimento, a procura de ajuda técnica especializada (psicoterapia) é culturalmente entendida, por demasiadas vezes, como sinónimo de fraqueza. A esta ideia junta-se uma outra, mais perversa, de que o técnico de saúde mental “trata” tão somente dos “loucos”, ou na melhor das hipóteses, dos incapazes.

Estas noções, que assinalam a falta de maturidade da Psicologia em Portugal, criam dúvidas acrescidas a quem se encontra em sofrimento, e sente, de facto, uma dor que não é necessariamente física.

  • Primeiro, colocará em causa a legitimidade do que está a sentir, procurando muitas vezes “enterrar”a dor, esperando que esta caia no esquecimento.
  • Depois, mesmo perante a procura de ajuda psicológica, esperará uma solução rápida, a curto prazo, e sem mudanças significativas de fundo.

Em suma, a alteração de processos mentais, de forma consciente e duradoura, é fruto de um trabalho conjunto, entre cliente e psicoterapeuta, que não se compadece da necessidade de imediatismo do mundo actual.

No entanto, a procura de ajuda é sem qualquer dúvida um acto de coragem, e o primeiro passo para uma boa saúde mental.